Alanina aminotransferase (ALT/TGP) e aspartato aminotransferase (AST/AST) na COVID-19.

Diversas alterações em exames laboratoriais podem estar presentes em pacientes com COVID-19. Entre essas alterações estão as lesões hepáticas, que representam um risco maior principalmente para pessoas com doenças preexistentes do fígado.
Diversos estudos que estão sendo realizados indicam que 2–11% dos pacientes com COVID-19 apresentam comorbidades hepáticas. De 14 a 53% dos casos relatados indicaram níveis anormais das enzimas hepáticas alanina aminotransferase (ALT/TGP), aspartato aminotransferase (AST/AST), durante a progressão da doença, apontando que os danos provocados pelo vírus não se restringem somente aqueles que possuíam doenças preexistentes do fígado.
As taxas mais altas de disfunção hepática ocorreram entre pacientes com COVID-19 grave. O monitoramento dessas enzimas e de outros parâmetros laboratoriais bioquímicos é de extrema importância pelo acompanhamento do agravamento da doença COVID-19


Fonte: 
Site: OMS. Coronavirus disease 2019 (COVID-19) Situation Report – 76. Zhang C, Shi L, Wang F-S. Liver injury in COVID-19: management and challenges. Lancet Gastroenterol Hepatol. 2020. 

 
© 2020 In Vitro Diagnóstica | Desenvolvido pela