Dezembro vermelho – Mês da conscientização e combate a Aids

05 Dez

Em dezembro ocorre a campanha “dezembro vermelho”, que foi instituída através da lei nº 13.504/2017, tendo como principal foco a conscientização sobre o HIV e a Aids.

O vírus da imunodeficiência humana (HIV), é o agente causador da Síndrome da Imunodeficiência Humana (AIDS). Este vírus causa danos diretamente no sistema imunológico do paciente infectado, tendo como principal alvo a destruição progressiva dos linfócitos T CD4+ estas células são fundamentais para o combate de infeções e a outras agressões ao organismo.

A transmissão do HIV ocorre das seguintes formas:

  • Sexo vaginal, anal ou oral sem camisinha.
  • Uso de seringa por mais de uma pessoa.
  • Transfusão de sangue contaminado.
  • Da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação.
  • Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

Geralmente a doença não apresenta sintomatologia, em sua fase aguda, que varia de 3 a 6 semanas após a infecção, o organismo inicia a produção dos anticorpos para enfrentar o HIV. Nesta fase pode aparecer febre, mal-estar ou inchaço nos gânglios (ínguas).

Logo após o HIV penetra nas células CD4 e neutraliza as mesmas, impedindo que realizem a sua função de defesa do organismo, o vírus é capaz de alterar o DNA dessa célula e fazer cópias de si mesmo. Este processo pode durar anos, e é chamada de fase assintomática.

Sendo assim, as células de defesa perdem sua eficiência até serem destruídas, com isso o organismo fica vulnerável a infecções oportunistas, devido à alta redução dos linfócitos T CD4+ que chegam a ficar abaixo de 200 unidades por mm³ de sangue, sendo o comum de 800 a 1.200.

Desse modo, concluímos que o diagnóstico antecipado e o tratamento adequado, melhoram significativamente a qualidade de vida do paciente e interrompem o ciclo de transmissão. Para um melhor diagnóstico é realizado a anamnese, testes rápidos de triagem, a identificação das variáveis vulnerabilidades e o exame físico. O kit HIV Tri Line de 3ª geração, fabricado com antígenos recombinantes tanto na fase sólida quanto no conjugado, é capaz de detectar Anticorpos totais (IgM, IgG e IgA) para HIV 1, incluindo o grupo M e O e Anti-HIV 2.

Referências

HIV/AIDS. Secretaria de saúde governo do estado do paraná. Disponível em https://www.saude.pr.gov.br/Pagina/HIVAids#:~:text=A%20aids%20%C3%A9%20a%20doen%C3%A7a,s%C3%A3o%20os%20linf%C3%B3citos%20T%20CD4%2B. Acesso em 28 de novembro de 2023.

HIV/AIDS. Secretaria de saúde do distrito federal. Disponível em https://www.saude.df.gov.br/hiv-aids. Acesso em 28 de novembro de 2023.

Dezembro Vermelho: Campanha Nacional de Prevenção ao HIV/Aids e Outras Infecções Sexualmente Transmissíveis. Disponível em https://bvsms.saude.gov.br/dezembro-vermelho-campanha-nacional-de-prevencao-ao-hiv-aids-e-outras-infeccoes-sexualmente-transmissiveis-2/. Acesso em 28 de novembro de 2023.

Cachay, Edward. Infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). Disponível emhttps://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/infec%C3%A7%C3%B5es/infec%C3%A7%C3%A3o-pelo-v%C3%ADrus-da-imunodefici%C3%AAncia-humana-hiv/infec%C3%A7%C3%A3o-pelo-v%C3%ADrus-da-imunodefici%C3%AAncia-humana-hiv, 2023. Acesso em 28 de novembro de 2023.

não perca as novidades!

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER